Música

O acordar do monstro adormecido

Olá, compinchas! Sim, admito: sou um bloguista desnaturado. Mas talvez quem viva de escrever todos os dias perceba o quanto um blog é uma ideia melhor em teoria do que na prática, para quem escreve por profissão quotidiana. Eu estou sempre a escrever – escrevo duas edições diárias d’ O Homem Que Mordeu o Cão, para… Continuar a ler

Música para animais

Uma das razões por que adoro trabalhar com o Miguel Araújo (como aconteceu no espectáculo Como Desenhar Mulheres, Motas e Cavalos) e com o João Só (como aconteceu no programa Telebaladas, do Canal Q) é que eles são uma espécie de versão 2.0 de mim. Partilhamos o sentido de humor, uma certa geekness na maneira… Continuar a ler

Um big bang de talento contra a violência

Tornou-se num dos piores capítulos da negra novela da actualidade portuguesa: entre notícias sobre a crise e a corrupção, parece haver sempre um lugar reservado nos jornais diários para a onda imparável de casos de violência doméstica. Histórias sinistras, todas trágicas na sua essência; algumas trágicas no desfecho. Acontecem em todas as classes, com gente de várias idades… Continuar a ler

Entradas em bom: Scarface

Estava a ouvir as novas músicas do veteraníssimo Giorgio Moroder, verdadeiro avô DJ (tem 74 anos que, diz ele, são os novos 24) e a pensar que, revelando elas uma energia surpreendente para um senhor que muita gente estaria à espera de ver na reforma, ainda assim não batem os momentos de suprema “coolness” que… Continuar a ler

Portugal devia saber que Toy, Bruno Aleixo, Lena d’Água e Samuel Úria estão juntos numa ópera espacial…

… e que a ópera espacial em questão é o novo disco dos Capitães da Areia. Recebi-o esta semana num insuspeito envelope. Apaixono-me à primeira vista pela capa – uma espécie de Sgt. Peppers dos Beatles, mas menos povoado, cruzado com Era Uma Vez o Espaço ou Ulisses XXXI. E começo a reconhecer caras familiares: “Espera aí… Aquele… Continuar a ler

The voice

Marco Paulo faz hoje 70 anos. Neste dia de celebração, tenho de assumir aqui que, sim, tenho um “best of” do campeão nacional do cançonetismo e, sim, sou fã do imbatível período electrónico do artista. Considero que qualquer um dos êxitos oitentistas de João Simão da Silva pontapeia os rabos de vários sucessos de nacional-cançonetistas românticos do… Continuar a ler