Marklnisses

A evolução

Há uns dias, o César Mourão gravou um vídeo a anunciar o seu regresso às Manhãs da Comercial. No vídeo, o César dizia, e passo a citar: “É só para vos descansar. Sei que já há para aí ataques cardíacos e tal. Calminha. O Rebenta a Bolha vai voltar quando estiver a chover”. Foi isto… Continuar a ler

A zona de desconforto

Em 1983, no clássico filme O Sentido da Vida, os Monty Python apresentavam um interlúdio animado, criado por Terry Gilliam, que me fez chorar a rir pelo inesperado que era. Inesperado até mesmo depois de percebermos qual é a ideia. É simples e brilhante: Sim, é humor negro. Sobre suicídio. A morte é alvo de várias piadas… Continuar a ler

1986

Para o Nicolau   Era 1986 e o meu coração estava partido. Não por causa de nenhuma miúda. Quer dizer: em 1986, por causa, praticamente, de todas as miúdas. Mas o meu coração estava partido por outras razões. No ano das eleições presidenciais cuja segunda volta opôs Mário Soares e Freitas do Amaral, no ano… Continuar a ler

Da incompreensão

É sempre surpreendente quando o “politicamente incorrecto” acontece por puro acidente. Mas o que aconteceu esta manhã explica como nascem as grandes polémicas azedas: por vezes não significa que quem tem um microfone à frente seja um punk do caraças; apenas que quem está do outro lado a ouvir, ouve mal. Isto manda abaixo a… Continuar a ler

Que. Dias.

Ahoy, visitantes da catacumba! Peço desculpa por variadas coisas: tenho o Visitante do Mês – de Março! – em atraso, para anunciar e desenhar, mas o trabalho anda intenso! Isto significa que vale mais, no início de Maio, anunciar e rabiscar os dois Visitantes – Março e Abril. Tenho descaixanços – os meus unboxings muito particulares… Continuar a ler

O Dia do Pai

Nos últimos dias, ao folhear diferentes publicações – e não estou a falar de revistas de luxo; uma delas é um jornal gratuito – percebi que se está a difundir a ideia de que no Dia do Pai, é perfeitamente natural gastar uma pipa de massa num presente ultra-sofisticado. Numa dessas listas de sugestões surgiam… Continuar a ler

Uma escola sem papel. Higiénico.

Às vezes não é preciso vasculhar longe para encontrar material bizarro digno d’ O Homem Que Mordeu o Cão. Recebi esta mensagem no meu Facebook, enviada pelo César Lopes: “Boa tarde Nuno, venho pedir ajuda para uma situação ridícula que se está a passar com as escolas da junta de freguesia de Moscavide e Portela…. Continuar a ler

Sobre as petições de justiça para com animais e as petições de justiça para com humanos

Gostaria de dizer às pessoas que apresentam estudos comparativos entre petições para pedir justiça para com crimes cometidos contra humanos e petições para pedir justiça para com crimes cometidos contra animais, e que depois tiram ilacções vazias mas tremendamente auto-importantes sobre as diferenças entre os assinantes de umas e de outras o seguinte: não, o facto de um crime… Continuar a ler